O Perigo de Tomar Remédios Para Zumbido Nos Ouvidos

O Perigo de Tomar Remédios Para Zumbido Nos Ouvidos

Isso é o que mais me frusta no tratamento para zumbido. Os remédios que são indicados para zumbido é muito forte e trazem efeitos colaterais indesejados. Eu mesmo tive a experiência de sentir enjoo e perca de massa muscular quando tomei alguns desses remédios.

O sintoma do zumbido pode simplesmente desaparecer por conta própria em alguns casos, em outros é permanente.

Alguns otorrinos (médicos especialistas em ouvidos, nariz e garganta) têm recomendado medicamentos que podem ajudar os pacientes, mas com um alto preço.

Abaixo há alguns medicamentos que são usados para isso. Confira.

1- Amitriptilina – é administrado quando zumbido é severo. É um antidepressivo tricíclico. De acordo com a Medline Plus, os efeitos colaterais da amitriptilina incluem sonolência, náuseas, vômitos, visão embaçada, dificuldade para urinar, fraqueza, fadiga, sudorese e alteração no peso. Infelizmente, a amitriptilina também eleva o risco de pensamento e comportamento suicida. Para minimizar estes efeitos colaterais, ao ser combinado com outras drogas a dosagem tem que ser diminuída.

2- Alprazolam – é um dos medicamentos que reduz o zumbido no ouvido. Normalmente, esta droga trata o pânico, a ansiedade e depressão. Os efeitos colaterais desta droga incluem problemas para dormir, amnésia, náuseas, vômitos, dificuldade de concentração, perda de desejo sexual e visão embaçada. Ela também provoca irritabilidade, agitação, sonolência, convulsões, alucinações e tremores. Não tome este medicamento em caso de alergia, gravidez e durante a amamentação, pois pode prejudicar o bebê.

3- Acamprosato – normalmente é usado para tratar os alcoólicos, mas este medicamento pode também ser administrado para tratar o zumbido. Os efeitos colaterais incluem dor nas costas, dor de cabeça, sudorese, constipação, diarreia, tontura, náuseas, vômitos, problemas visuais, mudanças de comportamento ou de humor e confusão. Além disso, ele pode causar ansiedade, depressão, ganhos de peso e falta de ar.

Não utilize qualquer tipo de droga ou suplementação para tratar o zumbido antes de consultar um médico ou especialista e, principalmente, durante a gravidez ou amamentação para que não haja nenhum problema sério.

O tratamento com Rivotril e Labirin em indivíduos com Zumbido

Um estudo clínico randomizado mostrou algum benefício com o uso de clonazepam (Rivotril), porém, faltam algumas informações no estudo, o zumbido retornou após a cessação do uso da droga e que poderia causar dependência.

Os zumbidos podem ser ocasionados por dois fatores: por estruturas para-auditivas ou podem ser gerados pelo sistema auditivo neurossensorial. A forma de diagnosticar e o tratamento são diferentes para ambos os grupos. Zumbidos gerados pelo sistema para-auditivo geralmente são relacionados a causas identificáveis e que possuem uma facilidade no tratamento.

Há diversos tipos de tratamento para este mal que atinge diversas pessoas ao redor do mundo. O tratamento que é mais utilizado é o de medicamentos. O tratamento medicamentoso se dá por monoterapia e doses diárias durante 30 ou 60 dias, devendo ser observado se houve melhora ou piora do quadro clínico do paciente. Diversos medicamentos podem ser utilizados para este fim, como por exemplo: Ginkgo Biloba, Lidocaína, Carbamazepina, Vitaminas em geral e também o Clonazepam (Rivotril) e a Betaistina. 1

Alguns depoimentos das pessoas que usaram Rivotril

Considerações Sobre Clonazepam (Rivotril)

O Clonazepam (Rivotril) deve ser ingerido em doses iniciais de 0,5 a 2,0 mg/dl por dia. Sua dose máxima para este tipo de tratamento se dá por 4mg diárias. Deve-se atentar para o risco de dependência ao medicamento. O clonazepam pertence à classe dos benzodiazepínicos que possuem como principal propriedade, a inibição leve de várias funções do Sistema Nervoso, permitindo assim, uma leve sedação, relaxamento muscular e efeito tranquilizante. Ele se mostra eficaz no tratamento da hipersensibilidade a sons intensos, pressão nos ouvidos e zumbidos.

Os efeitos colaterais que mais ocorrem em indivíduos que fazem uso deste medicamento são: sonolência, dor de cabeça, depressão, irritabilidade, insônia, perda de equilíbrio, concentração prejudicada, entre outros. Podem ocorrer também sintomas de abstinência após interrupção abrupta do tratamento com Clonazepam. A Betaistina (Labirin) deve ser ingerida de 8h/8h de dois a três meses. Sua dose recomendada é de 48mg. Ela produz vasodilatação e aumento do fluxo sanguíneo no sistema arterial vertebro-basilar em mais de 54% quando sua administração é venosa e também melhora a microcirculação do ouvido interno, cóclea e arcadas arteriovenosas da stria vascularis e ligamento espiral.

Seu uso é classicamente indicado para o tratamento de zumbidos e tonturas devido à hidropisia endolinfática – Síndrome de Menière. Os efeitos colaterais que mais acometem quem faz uso deste medicamento são: dores de estômago, náuseas e vômitos.

Consulte sempre um especialista antes de tomar esse medicamento.

Agora que você entende tudo sobre Rivotril, saiba como Labirin pode ajudar no zumbido no ouvido.

Estudos mostram que o Labirin (Betaistina) pode oferecer alívio sintomático do zumbido. Ela melhora a microcirculação no ouvido interno, promovendo e facilitando a compensação vestibular central. Podem ocorrer alguns efeitos adversos em indivíduos que fazem uso da Betaistina, como por exemplo, dores de cabeça e desconforto gastrointestinal. Há também contra indicação de uso para indivíduos que possuem úlcera gastrointestinal, asma e hipersensibilidade a algum componente da formulação do medicamento.

Foi realizado um estudo para avaliar a eficácia do Labirin (Betaistina) no tratamento do zumbido.

Neste estudo, um grupo de pacientes recebeu uma dose de 48mg, em duas ou três administrações diárias durante 120 dias. Observou-se uma melhora clínica em 30% dos pacientes que utilizaram Betaistina. O tratamento com Labirin foi bem tolerado nos pacientes e teve baixa incidência de efeitos adversos. Com isso, não foi necessário interromper o uso durante o estudo da eficácia do medicamento.

A Betaistina é utilizada atualmente no tratamento de distúrbios vestibulares (equilíbrio corporal), que são causados por falhas no sistema de equilíbrio do corpo. Este sistema compreende partes da face, do ouvido interno e do cérebro. Falhas neste sistema causam tonturas, perturbação da visão e zumbidos. Ela também é muito utilizada no tratamento da Doença de Menière, cujos estudos mostram que há reduções consideráveis nos sintomas de vertigens e do zumbido propriamente dito.2

 

Como Labirin pode ajudar no zumbido no ouvido?

O zumbido vem se tornando uma preocupação crescente na saúde mundial, pesquisas mostram que de 10 a 15% da população sofre desse mal que se caracteriza por uma percepção de um determinado som, quando não há um estímulo sonoro aparente. Pessoa de qualquer idade pode ser atingidas e o problema, quando não tratado, pode evoluir com a idade do indivíduo. O zumbido pode ser causado por diversos fatores, entre eles, exposição excessiva a ruídos, distúrbios otológicos, doenças metabólicas, entre outros. É difícil determinar claramente qual é a origem do zumbido, mas quando há uma causa aparente, ele pode ser tratado com terapias diversificadas. Diversos medicamentos vêm sendo estudados, com diferentes graus de benefícios, para que assim, o tratamento possa ser cada vez mais eficaz. Entre esses medicamentos destacam-se o Clonazepam, a Carbamazepina e recentemente, o Labirin (Betaistina) também.

Quais são as característica de Labirin?

compr. de 8 mg. cx. c/ 30 compr. compr. de 16 mg. cx. c/ 30 compr. Comprimidos de 24 mg. Caixas com 20, 30 e 60 comprimidos.

A dose recomendada é de três comprimidos de 8 mg, (24 mg/dia), divididos em três vezes ao dia, de preferência durante as refeições. Em função dos resultados obtidos, a dose pode ser aumentada para seis comprimidos de 8 mg ou três comprimidos de 16 mg ou dois comprimidos de 24 mg, em doses divididas durante o dia. A dose máxima é de 48 mg/dia.

 

A duração recomendada do tratamento é de 2 a 3 meses a ser repetido de acordo com a evolução da sintomatologia. A betaistina não é indicada para as crises, mas para um tratamento prolongado, a ser mantido ou interrompido de acordo com a evolução da doença. O espaçamento, a diminuição e mesmo a prevenção das crises permitem reinserção sócio-familiar do paciente.

Existem contra-indicações?

Reações de hipersensibilidade à droga, ou aos componentes da fórmula do produto. Úlcera gastrointestinal ativa e feocromocitoma.

Nos asmáticos a administração de Labirin exige um acompanhamento cuidadoso devido ao risco de ocorrer broncoconstrição. Os comprimidos devem ser administrados junto às refeições para previnir a ocorrência de gastralgias. Os pacientes que apresentem feocromocitoma não devem ser tratados com betaistina.

Uso de Labirin na gravidez

Não é recomendado o uso de betaistina durante a gestação e a lactação. Não foram descritas, até o momento, alterações na fertilidade ou potencial carcinogênico, embora a droga esteja sendo utilizada há cerca de 30 anos na Europa.

>> Saiba Quais São As 12 Principais Causas de Zumbido

Então podemos ver que se medicar para tratar zumbido, apesar de ser bem aceita no meio médico causa diversas reações perigosas e graves no corpo todo. Se você sofre desse mal, o zumbido, pode encontrar uma solução barata e eficaz na medicina alternativa. É a Terapia do Som, para saber mais clique aqui.

 

Veja 2 Referências Utilizadas

  1. http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/BM/BM26227-1-0.PDF
  2. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1808-86942011000400014&script=sci_arttext&tlng=pt
  • Shellen Lorreny

    Remédio é um veneno. Mas será que uma terapia resolve o zumbido?

    • Resolve sim Shellen, leia a nossa matéria de como funciona a terapia do som, esta recheada de depoimentos de quem usou a terapia do som

  • Shellen Lorreny

    Terapia do Som é bem melhor que remédios, minha mãe faz e aliviou muito. faz por um tempo e nunca mais

    • Legal Shellen. Fico feliz pelo feedback. Muito Obrigado

  • Igor

    Legal, se tem um tratamento alternativo e que da certo, é bem melhor que remédios

    • Valeu Igor. Sucesso pra você. Com certeza, até porque os remédios para zumbido são muito fortes e causam muitos efeitos colaterais. A terapia tem começo e fim pode ser uma boa escolha pra quem quer se curar do zumbido.

    • Com certeza. Os remédios são muitos fortes

Fechar Menu